PREFIXAL,SUFIXAL OU PARASSINTÉTICA

domingo, 15 de novembro de 2009

Nº 1


Caro Doutor Prof. Cláudio Moreno, não tenho nenhuma dúvida quanto ao que apregoa o conceito de prefixal e sufixal, ou a ambos empregados ao mesmo tempo, o que não estou entendendo é o posicionamento de algumas questões, quais sejam:

Primeira questão
(UEPiauí) – Por quais processos são formadas as palavras anonimato, sobrenomes e filiações, respectivamente?

a) prefixação – composição por aglutinação – sufixação
b) parassintetismo – sufixação – parassintetismo
c) sufixação – derivação regressiva – prefixação
d) conversão – composição – parassintetismo
e) prefixação – composição por justaposição – sufixação
Resposta: e
Nesta questão a resposta me parece errônea, pois a palavra separando-se a palavra anonimato: an- onimato, não aparece uma palavra independente, como pode ser prefixal?
segunda questão:
(Unisinos-RS) A palavra "incorruptível" é formada pelo seguinte processo:
a) prefixal
b) parassintética
c) sufixal
d) prefixal e sufixal
e) aglutinação
Resposta: d
acontece a mesma coisa com essa palavra: in- corrupti -vel, pois não existi a palavra corrupti ou incorrupti, mas corruptível sim.

Certo de sua resposta satisfatória,

Leandro.
========

RESPOSTA
Meu caro Leandro, na 1ª questão não sei o que a banca quis dizer com "por quais processos são formadas as palavras". Isso significa (1) "que processos de formação estão presentes nestas palavras" ou (2) "qual foi o processo de formação que fez nascer esta palavra"? Uma questão bem feita deveria, a meu ver, sempre abordar (2), e não (1). "Anonimato" é formado por derivação sufixal, a partir do adjetivo "anônimo" — e pronto. Agora, se levássemos (1) em consideração, existe prefixo ("AN-") e sufixo ("-ATO"). Esta questão, assim como está, não tem resposta e não pode ser levada a sério (e uma universidade que ainda fala em "parassintetismo", menos ainda).
- Ocultar texto das mensagens anteriores -

A mesma coisa vale para a 2ª. Se a banca estava pensando em (1), realmente em "incorruptível" aparecem um prefixo e um sufixo; se, no entanto (como deveria), estivesse focada em (2), consideraria correta a resposta (A), já que este adjetivo foi formado pelo acréscimo do prefixo de negação ao adjetivo "corruptível".


Abraço.
Prof. Cláudio Moreno
====
CONTRA-RESPOSTA

Bom dia Senhor,
Fiquei impressionado com a rapidez e a precisão de sua resposta, tal demonstra vossa competência e profundo saber, és um emérito dessa lingua e como dizia fernando pessoa minha pátria é o portugues, mas se me permite fazer mais uma ressalva, gostaria de dizer que concordo com o que o Sr. disse sobre a questão dois, porém pra ser prefixal e sufixal ao mesmo tempo ela tem de forma 3 palavras independentes : incorrupti, corrupti e corruptível e isso não ocorre, portanto a banca esta errada quanto a prefixal e sufixal, a pesar de, como o Senhor mencionou, haver um prefixo e um sufixo e essa vêm sendo minha dúvida.

Mui respeitosamente,

Leandro Monteiro de Oliveira
===============
RESPOSTA À CONTRA-RESPOSTA
Meu caro Leandro, não te espantes com a minha rapidez, pois ela foi casual. Eu estava olhando para minha tela quando tua mensagem pipocou aqui, e resolvi respondê-la — apesar da lista de mais de duzentas que estão em stand by. Quando ao "corruptível", não te esqueças de que o sufixo "-VEL" forma exclusivamente adjetivos a partir de verbos transitivos (o que se pode LAVAR é LAVÁVEL, quem se pode ELEGER é ELEGÍVEL, o que se pode CORROMPER é CORRUPTÍVEL. Portanto, o vocábulo nasceu por derivação sufixal (houve alterações no radical CORROMP-, CORRUPT-, mas isso é histórico, como podes ver nos cognatos CORRUPÇÃO e CORRUPTOR). Para formar o antônimo, foi acrescentado, mais tarde, o prefixo negativo "IN-"; fica claro, portanto, que neste vocábulo existem prefixo e sufixo, mas acrescidos ao radical em momentos diferentes. Isso elimina a hipótes de PARASSÍNTESE (os dois elementos deveriam ser acrescidos simultaneamente), mas autoriza a banca a afirmar que o vocábulo (sempre do ponto de vista (1), como expliquei na outra mensagem) foi formado por "derivação prefixal e sufixal".

Abraço.
Prof. Cláudio Moreno

2 comentários

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog. 15 de novembro de 2009 13:23
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog. 15 de novembro de 2009 13:26